Quem Somos

2018-2019

 bandoBranco
Bando
Branco

Afonso Nunes . Guia
Matilde Nascimento . Sub-Guia
Duarte Clemente . Secretário
Carolina Maia . Cozinheira
Diana Aguiar . Animadora
Manuel Proença . Fotógrafo
Matilde Veloza . Tesoureira
Martim Leal . Socorrista
Margarida Ferreira . Guarda-Material
?

bandoCinzento
Bando
Cinzento

Francisca Conceição . Guia
Diogo Alegre . Sub-Guia
Gonçalo Evaristo . Secretário
Teresa Cano . Tesoureira
João Osório . Animador
Guilherme Neto . Socorrista
Maria Inês Martins . Guarda-Material
João Pedro Martins . Fotógrafo
Margarida Carmo . Cozinheira
?

bandoPreto
Bando
Preto

Matilde Bastos . Guia
Francisco Nunes . Sub-Guia
Mia Rocha . Socorrista
João Costa . Secretário
Maria Cano . Tesoureira
Nuno Martins . Guarda-Material
Leonor Dinis . Cozinheira
Rodrigo Portal . Fotógrafo
Manuel Marques . Animador

bandoRuivo
Bando
Ruivo

Leonor Ferreira . Guia
Francisca Lourenço . Sub-Guia
Luís Pedro Pimentel . Secretário
Beatriz Almeida . Tesoureira
Vicente Barata . Guarda-Material
Irene Vera-Cruz . Animadora
Francisco Antunes . Fotógrafo
Miguel Rainha . Cozinheiro
Inês Rodrigues . Socorrista

Equipa de
Animação

Clara Silva
Bruno Fontes
Inês Sousa
Frederico Afonso
Catarina Saporiti
(Olavo Dinis)

Plano de Actividades

2018-2019

Visualizar PDF.

Organização

Iª Secção

• os elementos são denominados Lobitos e as suas idades entre os 6 e os 10 anos;
• os Lobitos estão divididos em Bandos de 4 a 7 elementos;
• denomina-se Alcateia a Unidade formada pelos Bandos de Lobitos, de dois a cinco Bandos;
• cada um dos Bandos designa-se e distingue-se por uma das seguintes cores, escolhida pelos respectivos Lobitos e que figura no distintivo de cada Lobito e na bandeirola de Bando: branco, cinzento, preto, castanho e ruivo;
• o patrono da I Secção e da Alcateia 98 é São Francisco de Assis;
• os Lobitos reúnem no Covil;
• a actividade típica da Alcateia é a Caçada;
• a cor representativa desta secção é o Amarelo;

SPP

Sistema de Progressão Pessoal

“Sabes o que vais fazer nos Lobitos?
Aqui o que nós gostamos de fazer é jogar. E também cantamos, dançamos, contamos histórias, construímos coisas, pintamos, etc. Brincamos mesmo muito! Agora que aqui chegaste, vais ter algum tempo para veres se gostas da nossa companhia. Nós dizemos que tu és um lobito pequenino que está a aprender: és um PataTenra!
Quando já souberes algumas coisas, vais fazer a tua Promessa. Sabes o que isso quer dizer? Quer dizer que gostaste tanto daquilo que fazemos que agora queres MESMO fazer parte da Alcateia e vais dizer aos teus chefes que decidiste ser um dos nossos!
Só depois de dizeres a todos os lobitos que queres ficar com eles e de teres o teu lenço amarelo de Lobito é que vais aprender ainda mais. Vais aprender devagarinho, passo a passo.”

Os Lobitos encontram estas palavras no Caderno de Caça, um manual da maior importância para o seu crescimento no escutismo. Com base no Caderno de Caça, o Agrupamento criou o Complemento do Caderno de Caça, que julgamos ser bastante útil, com vista a uma melhor assimilação do Sistema de Progressão Pessoal. Em baixo, disponibilizamos os dois manuais em formato PDF.

Caderno de Caça

Visualizar PDF.

Complemento do CC

Visualizar PDF.

ADN da Secção

Origem do Lobitismo

Em meados da década de 1910, o Escutismo, que naquela altura só admitia rapazes a partir dos 11 anos, deparava-se com um problema: Muitos meninos menores de onze anos também queriam ingressar no Escutismo e, com frequência, eram os irmãos mais novos de escuteiros

Baden-Powell tinha então que tomar providências para solucionar este “problema”. Embora estivesse receptivo à ideia, teve que tomar precaução para evitar que se pensasse que o seu Movimento estava a criar uma espécie de infantário para escuteiros.

As suas preocupações principais eram duas: a primeira, não cansar as crianças desta idade com actividades que estavam além das suas capacidades físicas: e a segunda, evitar o risco de perturbar os rapazes mais velhos, os quais poderiam sentir-se humilhados por terem que realizar as mesmas actividades dos mais jovens.

Para esclarecer as suas ideias, escreveu no final de 1913, as primeiras tentativas de denominar os meninos. Surgiram várias sugestões: Juniores Scouts, Beavers (castores), Wolf Cubs (lobitos), Cubs (filhotes), Colts (potros) e Trappers (ajudantes de caçador). Em suma, B.P., preocupava-se que o novo ramo do Escutismo tivesse as suas próprias características pedagógicas.

Em 1914, com a ajuda de amigos, publicou um plano resumido para o ramo dos Lobitos (designação escolhida). A publicação desse plano foi acompanhado da promessa de B.P. de elaborar um manual próprio para os pequenos, o qual abordaria um método com características próprias.

Com o início da 1ª Guerra Mundial, o projecto do manual foi adiado. Entretanto, B.P. convidou uma jovem senhora de nome Vera Barclay para assumir a responsabilidade da organização do Ramo Lobitos. Em 1916 surge o livro “Manual do Lobito” escrito por B.P. mas com uma grande ajuda de Vera Barclay

O fundo educativo do Manual do Lobito foi inspirado no livro “The Jungle Book” (“o Livro da Selva”), de Rudyard Kipling, o grande romancista e poeta inglês, nascido e criado na Índia, e laureado com o Prémio Nobel de Literatura em 1907.
?

Mística e Simbologia

A mística da I Secção inspira-se no espírito de São Francisco de Assis que, considerando-se simplesmente mais uma criatura entre as imensas criaturas de Deus, um irmão entre os irmãos, se tornou num dos poetas e cantores da Criação, o irmão simples, humilde, pacífico e afável do Universo;

Sem qualquer prejuízo para o espírito Cristão e a mística de São Francisco de Assis, que são vividos e desenvolvidos por todos os Lobitos, o espírito da Alcateia inspira-se, em grande parte, na vida da Selva e na história de Máugli, em «O Livro da Selva» de Rudyard Kippling.

A história de Máugli, relacionando os animais da Selva com as personagens da vida real, é um elemento central na vivência da Iª Secção. A história de Maúgli vive-se na Alcateia através de jogos, danças da Selva e representações. O ‘Jogo’ é o mote.

Os símbolos são imagens que nos trasportam para outro mundo, quando olhamos para elas podemos ver outras coisas que nelas estão escondidas. Os símbolos da alcateia são imagens que representam para nós o mundo da selva e do lobitismo e, por isso, são imagens que nos identificam e com as quais nos identificamos.

Grande Uivo
O Grande Uivo é o grito de reunião da Alcateia. Ele é a representação de tudo o que é importante na Alcateia, desde os lobos e as suas características passando pelas personagens de O Livro da Selva, até à promessa do Lobito. Faz-se sempre que há acontecimentos importantes e se quer agradecer a presença de alguém.

Vara Totem
A Vara Totem é uma vara que tem na ponta uma cabeça de lobo que pode ser esculpida em madeira ou em qualquer outo material. A Vara Totem de uma Alcateia deve contar a história da Alcateia, ou seja, ela deve ter marcas que identifiquem os Lobitos e os seus Chefes bem como as actividades da Alcateia.

Sol
O Sol é o símbolo da luz, do calor, de Deus e da alegria.

Rocha do Conselho
É o local de reunião da Alcateia, nele se tomam todas as decisões importantes e todas elas são partilhadas com toda a Alcateia. É um local de decisão, de responsabilidade e de partilha.

A Selva
A Selva, a vida ao ar livre é o símbolo da aventura e do mistério. Quando vivemos na natureza, ao ar livre, somos mais uma peça neste grande puzzle que é o Planeta Terra.

Lenço Amarelo e Branco
O lenço é o simbolo que identifica todos os escuteiros do mundo, quando olhamos para uma criança que tem um lenço ao peito sabemos logo que é um escuteiro. Quando olhamos para a cor do lenço sabemos a que secção pertence a criança. Os Lobitos têm lenços amarelos e brancos, amarelos cor do sol e de Jesus que nos iluminam e ajudam a crescer.

Lobo
O Lobo é para nós Lobitos o símbolo da responsabilidade e da liberdade, ele representa todo o Povo Livre e a forma como ele se comporta na Selva. É um Lobo astuto e atento, dócil e amigo, corajoso e caçador que todos queremos ser.

Saudação
A saudação dos Lobitos representa as orelhas de um lobo quando está com atenção, e os dois artigos da Lei do Lobito. A posição do polegar sobre o anelar e o mindinho tem o mesmo significado que na saudação do resto dos escuteiros, o mais forte protege sempre o mais fraco.

Oração do Lobito

Divino Menino Jesus,
Nós Vos oferecemos inteiramente,
O nosso coração.
Enchei-o das Vossas virtudes,
E ensinai-nos a imitar-Vos.
Nós queremos seguir o Vosso exemplo,
Com toda a boa vontade,
Para assim, com a ajuda da Vossa Mãe,
Maria Santíssima,
Crescermos em graça e em idade.
Ámen.

 

Espaço Alcateia 98